Primeiro Ministro reitera necessidade continuar a aumentar exportações

25-05-2011 13:12

 Portugal «não tem alternativa que não seja apostar nas exportações» e para que tal seja possível, «é preciso dirigir as políticas públicas para este sector», afirmou o Primeiro-Ministro durante uma visita à empresa de engenharia de ferramentas de corte e precisão Frezite, na Trofa. José Sócrates elogiou o contributo da empresa e da metalomecânica e metalúrgica nacional pelo contributo para a recuperação económica de Portugal por ter «aumentado as exportações em cerca de 100%, quer em volume, quer em qualidade». Na visita foi assinado um protocolo ao abrigo do Inov Export entre a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e a Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal.

O programa Inov Export foi um dos programas reforçados no quadro da Iniciativa para a Competitividade e o Emprego, lançada em Dezembro de 2010, que pretende envolver as associações empresariais e prevê a colocação de 500 estagiários nas empresas de modo a reforçar a sua capacidade exportadora. Este protocolo mostra que uma aposta neste domínio «junta duas áreas fundamentais da estratégia de crescimento: as qualificações e as exportações». «Só uma aposta na produção de bens transaccionáveis e nas exportações permitirá garantir um crescimento sustentado», acrescentou o PM.

A Frezite é «um bom exemplo de um trabalho bem feito» pelo «investimento em ciência, tecnologia e defesa dos postos de trabalho dos seus colaboradores», afirmou ainda José Sócrates. Presentemente e empresa tem 320 trabalhadores e o grupo conta com 14 empresas em diversos países.